Twittermania: o desafio de criar um twitter corporativo

Não é novidade que o Twitter virou mania. Com 6 milhões de usuários no mundo, a ferramenta de microblogs já é mais popular que o Facebook na rede brasileira. A matéria de capa da revista Época sobre o twitter, na edição do último 14 de março, traça um panorama do uso dessa ferramenta e inclui a opinião de vários personagens. Mas a grande discussão no mercado de comunicação corporativa é: quando e como criar um twitter corporativo?

Não adianta abrir um twitter institucional sem antes ter muito claro o que falar e com quem falar. Por experiência própria, quando o internauta faz o seu cadastro e começa a seguir muita gente começa a não prestar muita atenção nas discussões. São muitas opiniões para acompanhar e grande parte nem tem relevância em sua vida… Depois acaba afunilando um pouco, seleciona aqueles a quem quer seguir. Então aí está o ponto: abrir um canal com dados relevantes para o público-alvo.

O vídeo Twouble with Twitters ilustra de uma maneira muito divertida o que acontece na maioria das vezes nesse ambiente: são muitas pessoas falando para ninguém. Nós, aqui da Trama, também estamos vivendo essa fase. Além de alimentar o Twitter de alguns clientes, na Trama temos um twitter da agência para divulgar as novidades dos nossos clientes para a imprensa. Mas, na base da tentativa e erro ainda estamos tentando obter respostas para algumas questões como os jornalistas que estão cadastrados e já recebem tanta notícia das empresas estão lendo de fato? Será que essa não é uma ferramenta para atingir mais o público final? Assim como grande parte do mercado brasileiro, ainda estamos em fase de experimentação. Minha impressão é que antes de começar a direcionar tempo da equipe para a alimentação dessa ferramenta vale traçar um bom diagnóstico e desenvolver um projeto editorial. Diminui o risco de fazer bobagem, diminui as chances de investir dinheiro sem obter retorno. E profissionais de comunicação ainda são os profissionais mais habilitados para esse levantamento e um possível projeto editorial.

Palestra na Jump Education

Na semana passada fiz uma apresentação dos casos de sucesso em mídia social da Trama Comunicação. Minha participação ilustrou os conceitos sobre Relações públicas 2.0  apresentados antes pela consultora em web Cátia Lassalvia.  Depois almoçamos com os principais executivos da Jump Education e a informação que tive é que a crise econômico tem levado muitos alunos para a instituição. São dois públicos principais: o primeiro de agências de publicidade off line e o outro das pessoas desempregadas que estão procurando se capacitar para entrar no mercado de trabalho.

No caso das agências de publicidade, não é muita novidade que as tradicionais que perderam as grandes receitas e lucros gerados a partir de anúncios tradicionais, estão tendo que rebolar. O que corre todo mercado, apesar de não existirem ainda dados ou casos concretos, é que as maiores empresas reduziram a verba total de publicidade e aumentaram o percentual a ser destinado à web. Então só restou aos profissionais correram atrás de capacitação para lidar com essa nova realidade. O principal desafio é encontrar metodologias e métricas para mensurar resultados de ações em mídias sociais.

Com tudo isso, acredito que o mercado tende a se profissionalizar ainda mais. Mas a briga vai ser feia entre as agências de relações públicas, marketing, publicidade e de web. Como trabalhar com mídia social e web, como afirmei no meu post anterior,  pressupões conhecer um pouco sobre cada uma dessas áreas e ir um pouco além, todos estão disputando quem vai abocanhar esse orçamento. Não sou a favor da briga, embora sempre puxe a sardinha para o lado das relações públicas. Creio que o que a gente precisa é unir esforços para combinar a multidisciplinaridade que essas iniciativas exigem. Mas como tenho um pé atrás com muitos profissionais de publicidade, acho difícil que isso aconteça como deveria.

Workshop blogs e mídias sociais na Trama Comunicação

Hoje nós realizamos na Trama Comunicação mais um treinamento interno sobre blogs e o uso dessa ferramenta como estratégia central de ações de mídia social. Na semana passada participei de um evento sobre esse tema organizado pela Jump Education e hoje tinha como missão dividir meu conhecimento com o restante da empresa.  A reunião foi muito bacana porque também contamos com a participação do blogueiro Gabriel Jacob, que falou um pouco sobre a web 2.0 e contou como é o relacionamento que as assessorias de imprensa tem desenvolvido com o seu blog.